HOME | INSCRIÇÕES | REGULAMENTOS | FÓRUM | SUPORTE | LOGIN
Etapa Jaguaré - SP   

Fotos

Pilotos

Campeonatos


Lista de Regulamentos por Campeonato
Campeonatos

01   Sul 2007

Regulamento - Sul 2007  

REGULAMENTO - CBKE Temporada 2007

Capítulo I
INTRODUÇÃO

Art. 1º ? A Federação de Automobilismo do Distrito Federal ? FADF realizará, no ano de 2007, a Copa Brasília de Kart Endurance nos termos deste Regulamento.

Art. 2º - O presente Regulamento obedecerá às normas do Código Desportivo Internacional ? CDI/FIA, Código Desportivo do Automobilismo ? CDA/CBA e do Regulamento Nacional de Kart ? RNK/CBA.

2.1 ? Este regulamento, e seus adendos, têm força de lei desportiva, em conformidade com os princípios estabelecidos pela legislação nacional.

2.2 - Os adendos desportivos ou os considerados de segurança entram em vigor, a partir da data determinada nos mesmos.

Capítulo II
DA ORGANIZAÇÃO

Art. 3º - Sob supervisão da Federação de Automobilismo do Distrito Federal ? FADF, as etapas da Copa serão organizadas pelo Kart Racing Clube de Brasília.

Art. 4º - As entidades envolvidas no Campeonato, doravante serão assim denominadas:

a) Federação Internacional de Automobilismo ? FIA;
b) Confederação Brasileira de Automobilismo ? CBA;
c) Federação de Automobilismo do Distrito Federal ? FADF;
d) Federação de Automobilismo ? FAU;
e) Comissão Nacional de Kart ? CNK
f) Kart Racing Clube de Brasília - KRC

Capítulo III
DOS REGULAMENTOS PARTICULARES

Art. 5º - O Regulamento Particular de cada etapa será apresentado pelo KRC à FADF, nos termos e prazos estabelecidos no Art. 3º do RNK/CBA e qualquer alteração somente poderá ser efetuada pelos Comissários Desportivos, através de adendo.

Capítulo IV
DOS PARTICIPANTES

Art. 6º - A participação na Copa será efetuado por equipe composta por dois pilotos que deverá efetuar inscrição para toda a temporada de 2007 que consistirá do seguinte:

a) Pagamento dos custos anuais;
b) Aquisição de motor especificado neste Regulamento, para uso exclusivo na Copa,
c) Aquisição dos acessórios do motor;
d) Pagamento de 20% (vinte por cento) de motores de reserva.

Art. 7º - Somente poderão participar do Campeonato, os pilotos portadores de Cédula Desportiva Nacional, emitida pela CBA, válida para o ano de 2007.

7.1 ? Somente participarão dos treinos livres, tomadas de tempo ou prova os pilotos devidamente inscritos e com toda a documentação de posse da secretaria e sem débito com o KRC, FADF, e CBA.

7.2 ? As duplas poderão ser alteradas desde que as alterações sejam previamente aprovadas pela comissão organizadora da Copa.

7.3 ? Pilotos convidados, que não fazem parte do grupo inicial do projeto, pagarão uma taxa extra de R$ 100,00 (cem reais) por piloto e por etapa.

Capítulo IV
DAS INSCRIÇÕES

Art. 8º - As inscrições por etapa, que engloba o uso da estrutura do Kartódromo Waltinho Ferrari, troca de óleo dos motores, aluguel de box, mão-de-obra para manutenção simples dos motores e fundo de reserva deverá obedecer às seguintes condições:

a) Até o dia 5 (cinco) de cada mês em que ocorrerem provas: pagamento de R$ 200,00 (duzentos reais);
b) Até o dia 5 (cinco) dos meses em que não ocorrerem provas: pagamento de R$ 20,00 (vinte reais);
c) Pagamento na forma de rateio entre as equipes de despesas eventuais não previstas neste Regulamento.

Art. 9º - Será aceita a participação de no máximo 40 (quarenta) karts por prova.

Capítulo V
DO KARTÓDROMO

Art. 9º - As provas da Copa serão realizadas no kartódromo Waltinho Ferrari nos circuitos previstos no Regulamento Particular de cada prova.

Capítulo VI
DO CALENDÁRIO

Art. 10 ? A Copa será constituída de 6 (seis) etapas com duração mínima de 1h30m (uma hora e trinta minutos) e máxima de 3h (três horas), obedecido ao seguinte cronograma:

ETAPA DATA DURAÇÃO
1ª 15/04/2007 1h30m + 2 voltas
2ª 06/05/2007 1h30m + 2 voltas
3ª 10/06/2007 3h + 2 voltas
4ª 19/08/2007 1h30m + 2 voltas
5ª 23/09/2007 1h30m + 2 voltas
6ª 14/10/2007 3h + 2 voltas

10.1 ? As datas poderão ser alteradas através de aviso divulgado com o mínimo de 15 (dias) de antecedência.

Capítulo VII
DA PONTUAÇÃO E DESCARTE

Art. 11 ? A pontuação por etapa será atribuída por dupla e obedecerá ao seguinte critério:

Provas Col Pts Col Pts Col Pts Col Pts Col Pts Col Pts Col Pts Col Pts Col Pts Col Pts
1½ horas 1º 20 2º 15 3º 12 4º 10 5º 8 6º 6 7º 4 8º 3 9º 2 10º 1
3 Horas 1º 40 2º 30 3º 24 4º 20 5º 16 6º 12 7º 8 8º 6 9º 4 10º 2

11.1 ? A dupla que obtiver a pole-position receberá uma bonificação de 1 (um) ponto.

11.2 ? A dupla que obtiver a melhor volta da prova receberá uma bonificação de 1 (um) ponto.

11.3 ? Somente fará jus à pontuação prevista no Caput deste artigo a dupla que completar 75% (setenta e cinco por cento) do número de voltas percorridas pelo vencedor.

11.4 ? Sempre que 75% (setenta e cinco por cento) do número de voltas resultarem em número com decimais (não inteiro), o arredondamento será para o número inteiro anterior.

11.5 ? A dupla que não completar o número mínimo de voltas previsto no item 11.3 será atribuída a pontuação apenas das bonificações previstas nos itens 11.1 e 11.2.

Art. 12 ? O sistema de descarte para o Campeonato será N-1.

12.1 ? Os pilotos excluídos, desclassificados, ou que estiverem cumprindo suspensão, não poderão ter esses resultados considerados como descarte.

12.2 ? Se a desclassificação tiver sido motivada por falta de peso, o resultado da prova em que a penalidade tiver sido aplicada poderá ser descartado.

12.3 ? No caso de exclusão ou desclassificação, as bonificações previstas nos itens 11.1 e 11.2 passarão para o piloto que obteve o tempo imediatamente abaixo.

Art. 13 ? Será declarada campeã a dupla que somar mais pontos ao final da Copa, observado o critério de descarte previsto neste Regulamento.

13.1 ? Se duas ou mais duplas terminarem o campeonato com igual número de pontos, já considerado o critério de descarte previsto no Art. 12, será adotado o seguinte para desempate:

1 - a dupla que tiver maior número de vitórias;
2 - o maior número de pontos sem descarte;
3 ? a dupla que tiver maior número de segundos lugares;
4 ? a dupla que tiver maior número de terceiros lugares;
5 ? a dupla que tiver maior número de melhores voltas;
6 ? a dupla que tiver maior número de pole-position;
7 - sorteio.

Capítulo VIII
DA PREMIAÇÃO

Art. 14 ? Serão distribuídos ao final de cada prova, troféus ou taças às duplas que alcançarem as três primeiras colocações.

14.1 ? Ao final do campeonato serão entregues troféus ao campeão e vice, bem como diplomas para todos os participantes, em local e data determinados pela FADF.

Capítulo IX
DO HORÁRIO DAS PROVAS

Art. 15 ? A realização das provas obedecerá ao seguinte Programa Horário:

HORÁRIO EVENTO
07:30 às 8:10 hrs Abastecimento, Sorteio dos Motores, Montagem dos Motores/Recebimento dos Sensores de Cronometragem
08:30 às 8:50 hrs Treino Oficial
09:10 às 9:25 hrs Tomada de Tempo
09:40 às 10:00 hrs Formação do Grid de Largada
10:00 às 10:15 hrs Briefing obrigatório com Pilotos e Chefes de Equipes
10:30 hrs Largada
12:02 hrs Chegada para provas com duração de 1h30m
12:10 hrs Pódio das provas com duração de 1h30m
13:32 hrs Chegada para provas com duração de 3h
13:40 hrs Pódio para provas com duração de 3h

Capítulo X
DA TOMADA DE TEMPO

Art. 16 ? Observadas as disposições contidas no Art. 10 do CNK, a Tomada de Tempo será realizada em uma sessão única de treino classificatório com duração de 15 (quinze) minutos, com participação de todos os inscritos na Copa.

16.1 ? Somente um dos pilotos da dupla poderá participar da Tomada de Tempo.

16.2 ? Durante a Tomada de Tempo os karts não terão acesso aos boxes.

16.3 ? Somente a calibragem de pneus será permitida durante a Tomada de Tempo e deverá ser executada no Parque de Manutenção que funcionará em local determinado pela organização da prova.

16.4 - O piloto que participar da Tomada de Tempo deve, obrigatoriamente, largar.

Capítulo XI
DO BRIEFING

Art. 17 ?  É obrigatória a participação de todos os pilotos inscritos na prova no ?Briefing? que será realizado com o Diretor de Prova e Comissários Desportivos em local informado no Regulamento Particular de cada prova.

17.1 ? Será realizado ?Briefing? com os Chefes de Equipes que poderá ocorrer conjuntamente com os pilotos.

Capítulo XII
DA LARGADA

Art. 18 ? O Grid de Largada será montado ao estilo ?Le Mans? com os karts alinhados lado a lado em 45º (quarenta e cinco graus), na reta de largada, na margem direita da pista, com os pilotos posicionados na margem oposta.

18.1 ? Os karts deverão estar ligados e seguros pelo pára-choque por um único auxiliar, que poderá ser o 2º (segundo) piloto da equipe.

18.2 ? Na posição de 45º (quarenta e cinco graus), o pneu traseiro direito deverá permanecer sobre a linha de demarcação da pista e só poderá deixar a linha de demarcação após o piloto estar sentado no banco do kart.

18.3 ? O kart que ultrapassar a linha de demarcação antes do piloto se encontrar sentado no seu banco, será punido com ?Time Penalty? de 1 (um) minuto.

18.4 ? Após a abertura dos boxes, o piloto que sair para a pista e retornar ao mesmo ficará impedido de voltar à pista até que seja dada a largada da prova, e de lá largar quando o diretor da prova autorizar, sempre após o último kart do pelotão.

18.5 ? É proibida qualquer manutenção no grid de largada.

18.6 ? Qualquer manutenção, sem troca de equipamento poderá ser autorizada pelo Comissário Técnico, sendo o kart levado para os boxes , onde permanecerá até que seja dada a largada da prova, e de lá largará quando o diretor da prova autorizar, sempre após o último kart do pelotão.

18.7 ? O piloto que não deixar o Parque Fechado dentro do horário estabelecido deverá largar dos boxes após autorizada a largada da prova, quando o diretor da prova autorizar, sempre após o último kart do pelotão.

Capítulo XIII
DOS AUXILIARES DE PISTA

Art. 19 ? Os auxiliares deverão permanecer, obrigatoriamente, dentro das áreas demarcadas pela Direção de Prova, só podendo entrar na pista quando autorizado por esta.

19.1 ? Os auxiliares serão devidamente identificado por jalecos fornecidos pela organização da prova.

19.2 ? A equipe será responsável pelas atitudes de seu(s) auxiliar (es), podendo tais atitudes acarretar sua exclusão ou desclassificação da prova.

19.3 ? Será cobrada caução pelo jaleco fornecido.

Capítulo XIV
ACESSO À PISTA

Art. 20 ? Somente pessoas autorizadas pela organização da prova poderão ter acesso à pista, devendo os demais permanecer na área dos boxes.

Capítulo XV
DO TEMPO DE PILOTAGEM

Art. 21 ? O tempo mínimo de pilotagem de cada piloto será de 30 (trinta) minutos para provas com duração de 1h30m (uma hora e trinta minutos) e de 1h00m (uma hora) para provas com duração de 3h00m (três horas).

21.1 ? A substituição de pilotos deverá ser efetuada na área dos boxes, sendo vedada em outros locais, inclusive na área da balança e no reabastecimento.

21.2 ? O tempo de pilotagem será aferido em súmula específica que deverá ser assinada pelo piloto na balança.


Capítulo XVI
DO PARQUE FECHADO

Art. 22 ? Fica instituído o regime de ?Parque Fechado? que vigorará por tempo determinado pelos Comissários Desportivos, antes do início da Tomada de Tempo até 30 (trinta) minutos após o término da prova.

Art. 23 - O kart que entrar na área do Parque Fechado deverá estar com seu motor desligado a partir da faixa de retenção, permanecendo desligado até a linha de demarcação de saída para a pista. O piloto deverá permanecer sentado, em posição de corrida, no transporte do kart na área de box.

23.1 - O descumprimento da regra prevista neste artigo causará ao infrator a penalização com "Time Penalty" de 40 segundos.

23.2 ? O piloto que causar acidente por excesso de velocidade e/ou imperícia no acesso ao Parque Fechado ou balança terá sua equipe desclassificada do evento.


Capítulo XVII
DOS REPAROS MECÂNICOS DURANTE O EVENTO

Art. 24 ? Todo reparo mecânico do kart durante prova  deverá ser feito na área dos boxes.

24.1 ? O kart que for reparado, durante a prova fora dos boxes, incluindo a pista, será automaticamente excluído da competição da qual estiver participando.

24.2 ? Da decisão de desclassificar o kart por reparo fora da área de boxes não caberá recurso.

24.3 ? Em caso de quebra, acidente, pane seca de combustível ou qualquer outro motivo que impeça o piloto de trazer por meios próprios o kart para o box, o Chefe da Equipe deverá comunicar o fato ao Diretor de Prova que, a seu critério, poderá adotar as medidas necessárias para a remoção do kart para o box.

24.4 ? Na situação prevista no item anterior, o kart poderá ser reparado e retornar à prova.

24.5 ? Caso o kart necessite de manutenção após a Tomada de Tempo, o Chefe da Equipe deverá solicitar autorização para execução dos serviços, que deverão ser executados sob acompanhamento de um fiscal designado pelo Comissário Técnico.

Capítulo XVII
DO ABASTECIMENTO E REABASTECIMENTO

Art. 25 ? O abastecimento e o reabastecimento dos karts durante a Tomada de Tempo e a Prova deverão ser feitos exclusivamente na área de abastecimento determinado no Regulamento Particular da prova.

25.1 ? Quando do abastecimento ou reabastecimento de combustível, o motor do kart deverá estar desligado e o piloto fora do kart.

25.2 ? Quando do abastecimento de combustível o tanque de combustível deverá estar vazio e livre de qualquer resíduo sólido, líquido ou gel e efetuado o abastecimento receberá um lacre de segurança.

25.3 ? Quando do reabastecimento de combustível o tanque deverá estar lacrado e somente poderá ser aberto no Parque de Abastecimento.

25.4 ? O abastecimento de óleo será efetuado por fiscal designado pelo Comissário Técnico quando da entrega dos motores e a tampa de entrada do óleo será lacrada.

25.5 ? Em caso de vazamento de óleo, a reposição somente poderá ser efetuada com orientação do Comissário Técnico sendo lacrada a tampa de entrada de óleo após a operação.

Art. 26 ? Para a  corrida  de 1:30 será disponibilizada a quantidade de 12 (doze) litros de combustível.

26.1 -  Para a corrida  de 3:00 (treis horas) será disponibilizado a quantidade de 24 (vinte e quatro)      litros de combustível

26.2 - O limite máximo para abastecimento/reabastecimento é de 7 litros.

Capítulo XVIII
DA NEUTRALIZAÇÃO/PARALIZAÇÃO DA PROVA

Art. 27 ? Caso em função de acidente, remoção de kart, bloqueio de pista ou outra situação de segurança, a prova poderá ser neutralizada a critério do Diretor da Prova e/ou Comissários Desportivos, por meio de sinalização no Posto de Sinalização de Direção da Prova ? PSDP.

27.1 ? Durante o tempo de neutralização da prova o tempo continuará sendo contado e não será acrescentado ao seu final.

Art. 28 ? Caso a prova venha a ser interrompida com bandeira vermelha faltando mais de 30 (trinta) minutos para o seu final, deverá ser reiniciada tão logo os motivos que obrigaram à paralização sejam sanados.

28.1 ? No caso de paralização os karts deverão ser recolhidos ao Parque Fechado onde permanecerão até que seja autorizado o reinício da prova.

28.2 ? Nesse caso não será permitida qualquer manutenção ou reabastecimento ao kart que somente poderá reiniciar a sua participação na competição no estado em que entraram no Parque Fechado.

28.3 ? No caso de haver necessidade de manutenção no kart, esta somente poderá se iniciada após a relargada da prova.

28.4 ? A prova será reiniciada completando-se o restante de tempo que faltar para que seja completado o tempo previsto no Regulamento.

28.5 ? No caso previsto no item anterior, serão somadas as voltas e tempos das baterias para que seja declarada a colocação final da prova.

28.6 ? No caso da interrupção ocorrer após completados 75%( setenta e cinco ) do tempo de prova, a critério dos Comissários Desportivos poderá ser considerada finalizada com a pontuação sendo atribuída integralmente nos termos previstos neste Regulamento.

28.7 ? Caso ocorra interrupção em tempo inferior ao previsto neste artigo e não haja condições da prova ser reiniciada os pontos serão computados pela metade.

Capítulo XIX
DOS CHASSIS E CARENAGEM

Art. 29 ? Poderá ser utilizado, independentemente ao ano de fabricação, chassi de qualquer marca, desde que tenha homologação da CBA e atenda os requisitos de segurança exigidos para participação na prova, a critério do Comissário Técnico.

29.1 ? Da decisão do Comissário Técnico em não permitir a participação de kart nos termos do Caput deste artigo não caberá recurso.

29.2 ? O chassi não poderá sofrer qualquer tipo de alteração em sua estrutura, salvo as necessárias para fixação do motor, carenagens, suporte de peso, tanque de combustível e pára-choque de proteção das rodas traseiras.

29.3 ? O chassi que participar dos Treinos Oficiais não poderá ser substituído, exceto na situação prevista neste Regulamento para ?Portador de Necessidades Especiais?.

29.4 ? São permitidos os seguintes ajustes:

a) Posição do banco, pedaleira e coluna de direção;
b) Bitola dos eixos dianteiro e traseiro;
c) Cáster, camber, divergência e convergência das rodas;

29.5 ? É permitida a instalação de sobre-banco ou capas adicionais, para ajuste da posição de pilotagem, devendo ser fixado através de parafuso e porca ou de ?engate-rápido? e aprovados durante a vistoria técnica.

Art. 30 ? Será obrigatória a utilização de carenagem modelo K4 ? 2003, selo ?Pavão Acessóries?, modelo K-4 ? 2004, selo ?Granja Viana?, 2005/2006 selo ?Granja Viana?, ou de outra marca, modelo e procedência, desde que comprovadamente similar e com o aval da Organização do Evento, sem modificações exceto:

a) Furação do tanque de combustível;
b) Corte para colocação do motor;
c) Furação para mangueira do filtro de ar;
d) Instalação interna de chapa lateral em alumínio, na parte traseira, com altura máxima de 15 cm (quinze centímetros) partindo do limite inferior da carenagem, que poderá ser fixada por arrebites;
e) Instalação interna de chapa em alumínio na parte frontal, com altura máxima de 15 cm (quinze centímetros) partindo do limite inferior da carenagem, que poderá ser fixada por arrebites;
f) Instalação de faixa de borracha com altura máxima de 10 cm (dez centímetros) na parte dianteira, partindo do limite inferior da carenagem;
g) Preenchimento com poliuretano da parte interna frontal da carenagem;
h) Reforço do ponto de fixação do encaixe da barra vertical traseira, através de chapa de alumínio;

30.1 ? É proibida qualquer modificação externa na carenagem, exceto furação com cantos arredondados para colocação do filtro de ar na medida máxima de 13 cm (treze centímetros) por 7,5 cm (sete centímetros e meio), da corda com medida máxima de 20 cm (vinte centímetros) por 15 cm (quinze centímetros) e na parte traseira, até o limite do retângulo marcado na carenagem.

30.2 ? São proibidas, ainda, quaisquer modificações que venham alterar aerodinamicamente a carenagem, inclusive com a colocação de acessórios.

Art. 31 ? É obrigatória a instalação de pára-choque traseiro com largura mínima de 1300 mm (mil e trezentos milímetros) e máxima de 1380 mm (mil trezentos e oitenta milímetros).

Art. 32 ? É obrigatória a utilização de um suporte para fixação do sensor de cronometragem que deverá ser instalado em local indicado pelo Comissário Técnico.

Capítulo XX
DOS PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS

Art. 33 ? Para a participação de Portadores de Necessidades Especiais, fica permitida a adaptação do kart às suas necessidades.

33.1 ? A equipe que tiver na sua formação a presença de Portador de Necessidades Especiais poderá utilizar tantos chassis quanto forem os portadores de necessidades da equipe.

33.2 ? Todos os karts dos Portadores de Necessidades Especiais deverão ser submetidos a todas os demais exigências previstas neste Regulamento, inclusive no que se refere a motor, pneus e peso.

33.3 ? A substituição de pilotos em que envolva portadores de necessidades especiais durante a prova deverá ocorrer no Parque Fechado com o piloto que for substituir devendo permanecer ao lado de seu kart somente podendo sentar e ser empurrado após a total parada do kart a ser substituído.

Capítulo XXI
DOS MOTORES E TRANSMISSÃO

Art. 34 ? O motor a ser utilizado na categoria será da marca Toyama modelo TG FX130, a gasolina, fornecido juntamente com escapamento e pinhão/embreagem de 13 (treze) dentes, pela organização da prova.

34.1 ? A distribuição do conjunto especificado no Caput deste artigo será efetuada pela Organização do evento por meio de sorteio, através do sistema de globo giratório.

34.2 ? A dupla de pilotos será responsável pelo motor e seus acessórios desde o momento em que recebê-lo até sua devolução que deverá ocorrer ao final da prova.

34.3 ? São de responsabilidade da dupla de pilotos danos externos causados ao motor.

Art. 35 ? O conjunto motor/escapamento somente poderá ser trocado com autorização do Comissário Técnico em caso de quebra ou defeito que não possa ser reparado.

35.1 ? No caso previsto neste item não haverá custo para a dupla de pilotos participante.

35.2 ? Trocas voluntárias de motor poderão ocorrer observado o seguinte:

a) Haja disponibilidade de motores;
b) Limitação de 20% (vinte por cento) do número de duplas inscritas;
c) Somente poderão ocorrer após as trocas por quebra ou defeito no motor;
d) Mediante pagamento de uma taxa de R$ 200,00 (duzentos reais).

35.3 ? A equipe que optar pela troca voluntária de motor perderá 10 posições no grid de largada.

35.4 - Após o início da prova somente serão efetuadas trocas por quebra ou defeito que não possa ser reparado até o limite de 1/3 da prova completada.

Art. 36 ? É obrigatória a utilização de coroa de 42 (quarenta e dois) dentes e corrente de motocicleta, sendo recomendada a utilização de corrente coroa, em bom estado de conservação, para evitar maiores danos ao pinhão.

Capítulo XXII
DO PESO DOS PARTICIPANTES

Art. 37 ? O peso mínimo obrigatório será de 200 kg (duzentos quilogramas) para o conjunto kart/piloto em ordem de marcha.

37.1 ? O peso do kart poderá ser verificado a qualquer momento por determinação dos Comissários Desportivos e/ou Comissário Técnico.

37.2 ? O kart será pesado ao término da Tomada de Tempo, durante a prova e no final da prova.

37.3 ? Toda vez que o kart adentrar aos boxes durante a prova, por qualquer motivo, deverá primeiro passar pela balança para verificação do peso.

37.7 ? É obrigatória a pesagem do kart ao final da Tomada de Tempo e da Prova.

37.8 ? A falta de peso verificada ao final da Tomada de Tempo implicará na desclassificação do mesmo devendo o concorrente alinhar para a largada no final do grid.

Art. 38 ? Caso haja necessidade de colocação de lastro para completar o peso do conjunto kart/piloto, o mesmo deverá ser fixado pro meio de parafuso e porca (inclusive tipo borboleta).

Art. 39 ? Caso o conjunto kart/piloto não alcance o peso mínimo durante a prova sofrerá as seguintes penalizações:

a)  Falta de peso até 2.000g (dois mil gramas)  - "Time Penalty" de 40 segundos;

b)  Falta de peso acima de 2.000g (dois mil gramas)  - "Time Penalty" de 60 segundos;

c) A partir da 3ª (terceira) penalização o concorrente será excluído da prova;

Art. 40 ? Caso o conjunto kart/piloto não alcance o peso mínimo ao final da prova sofrerá as seguintes penalizações:

a) Falta de peso até 2.000 (duas mil) gramas ? perda de 5 posições na classificação final;
b) Falta de peso acima de 2.000 (duas mil) gramas ? perda de 10 posições na classificação final;
c) Se a falta de peso corresponder à 3ª verificada a dupla será desclassificada.

Capítulo XXIII
DOS PNEUS

Art. 41 ? Os pneus para tempo seco serão da marca MG ? Tipo AZ (vermelho) novos ou usados.

41.1 ? Os pneus de chuva serão da marca MG ? selo branco, novos ou usados.

Capítulo XXIV
DAS PENALIDADES

Art. 42 ? Além das penalidades previstas neste Regulamento, no RNK e no CDA, serão aplicadas as seguintes:

a) Ultrapassagem sob bandeira amarela: "Time Penalty" de 20 segundos;
b) Corte de pista: "Time Penalty" de 30 segundos;
d) Receber auxílio junto à plataforma de pesagem ou em toda a área de pesagem: "Time Penalty" de 30 segundos;
e) Entrar na área de pesagem com o motor ligado: "Time Penalty" de 40 segundos;

f) Desrespeito à sinalização de Parque Fechado: "Time Penalty" de 30 segundos;
g) Invasão de pista por pessoas ligadas à equipe sem autorização: "Time Penalty" de 30 segundos;
 h) Percorrer em sentido contrário na área do Parque Fechado: "Time Penalty" de 30 segundos;
 i)  Entrada na pista com carrinho sem autorização da direção de prova: "Time Penalty" de 40 segundos;
 j)  Mais de 2 (duas) paessoas empurrando o kart: "Time Penalty" de 30 segundos;
 k) Ultrapassagem sob bandeira amarela durante neutralização: "Time Penalty" de 30 segundos.

Art. 43 ? Todas as penalidades serão cumpridas com a prova em andamento, não sendo permitido o cumprimento com a prova neutralizada.

Capítulo XXV
DA PUBLICIDADE

Art. 44 ? Deverão ser reservados na carenagem espaços para utilização pela organização da prova, na quantidade e dimensões definidos previamente com os participantes.

44.1 ? Se o concorrente comprovar antecipadamente um patrocínio que seja conflitante com o da organização da prova poderá abster-se desta publicidade, pagando o valor correspondente a duas taxas de inscrição.

Art. 45 ? É permitido negociar com patrocinadores em potencial, individualmente ou em grupo com o propósito de diminuir os custos do evento.

Capítulo XXVI
DA UTILIZAÇÃO DOS SENSORES DA CRONOMETRAGEM

Art. 46 ? Os sensores são de propriedade da Cronometragem, sendo obrigatória a sua devolução, em qualquer situação ao final da prova, ou quando solicitado pela organização.

46.1 ? A dupla que não devolver o sensor na situação acima terá que ressarcir à Cronometragem o valor de R$ 700,00 (setecentos reais).

Capítulo XXVII
DOS BOXES

Art. 47 ? À equipe detentora de direito de ocupação de garagem no Kartódromo Waltinho Ferrari terá preferência de utilização dos boxes localizados à sua frente.

47.1 ? Em caso de impasse entre equipes concorrentes a organização do evento definirá a ocupação dos boxes.

47.2 ? Somente poderá ser utilizada a área delimitada pela cobertura dos boxes.

47.3 ? É obrigatório manter a área junto ao alambrado da pista, em toda a sua extensão, livre permitindo a passagem do público.

47.4 ? No caso de utilização de toldos, os mesmos deverão obedecer ao padrão do kartódromo com relação a cor e estrutura.

47.5 ? É obrigatória a utilização de extintor de incêndio de pó químico de 4 kg (quatro quilogramas) no box da equipe.

Capítulo XXVIII
DAS RECLAMAÇÕES E APELAÇÕES

Art. 48 ? As reclamações técnicas e desportivas somente poderão ser impetradas por concorrentes da prova, em formulário próprio, devendo ser apresentadas por escrito e acompanhadas da respectiva caução, cujos valores estão previstos no CDA, até 30 (trinta) minutos após a divulgação do resultado oficial, através da sua fixação no quadro de avisos.

48.1 ? Somente serão aceitas reclamações assinadas pelos pilotos e, em caso do piloto ser menor de idade, pelo seu representante devidamente identificado na Ficha de Inscrição.

Art. 49 ? As apelações deverão seguir as disposições contidas nos Art. 75, 76 e 77 do CDA.

49.1 ? As custas das apelações corresponderão aos valores previstos no Art. 138 do CDA.

Capítulo XXIX
DAS PENALIZAÇÕES EM MULTAS

Art. 50 ? As penalizações em multa obedecerão às disposições contidas no Art. 128 do CDA.

Capítulo XXX
DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

Art. 51 ? Os casos omissos ou não previstos neste Regulamento serão decididos pelos Comissários Desportivos durante a prova e pelo Presidente do Conselho Técnico da FADF após a prova.

Art. 52 ? As provas somente poderão ser realizadas com a presença de Segurança Contratada, Ambulância e Médico contratados especificamente para o evento.

Art. 53 ? É responsabilidade da organização a contratação de cronometragem por sensores eletrônicos.

Art. 54 ? Todas as informações emitidas pelo Diretor de Prova, Comissários Desportivos, Comissário Técnico, Cronometragem, incluindo resultados da Tomada de Tempo e Resultado das Provas, deverão ser fornecidos aos concorrentes através da Secretaria de Prova através de cópias dos documentos oficiais.

Art. 55 ? Ao assinar a Ficha de Inscrição de cada prova, o piloto estará ciente que cumprirá fielmente todos os termos do Código Desportivo do Automobilismo ? CDA, do Regulamento Nacional de Kart ? RNK e do Regulamento Particular, se comprometendo a não recorrer, aos Poderes Públicos, de qualquer decisão tomada, mas unicamente aos Poderes Desportivos, em qualquer hipótese que ocorrer.

Art. 56 ? A CBA, FADF, KRC. Organizadores, Patrocinadores e Administração do Kartódromo onde for realizada a prova, eximem-se, pó si, como pelos seus órgãos auxiliares, de toda e qualquer responsabilidade civil e/ou penal e/ou administrativa, decorrente de infrações ou acidentes ocorridos durante os treinos, tomadas de tempo, provas ou outras atividades durante o evento, recaindo essa responsabilidade exclusivamente naquele que deu causa ao fato, ao que o piloto concorrente ou seu responsável adere no ato da assinatura de cada inscrição.

Art. 57 ? Fica proibido a utilização de rádio comunicador entre piloto e box.

Art. 58 ? É obrigatório no mínimo 3 (três) extintores de incêndio de pó químico de 4 kg (quatro quilogramas), estrategicamente posicionados na área de abastecimento e no Parque Fechado.

Art. 59 ? As informações, comunicados oficiais e adendos a este regulamento podem ser acessadas no site da FADF (www.fadf.org.br) e complementarmente no site www.webkart.com.br/cbke ou através do endereço eletrônico porfirio123@brturbo.com.br.


REFERÊNCIA OFICIAL
 
IN-FADF nº 008/07
Homologo o presente Regulamento Geral da Copa de Kart Endurance para a temporada de 2007.
Brasília-DF, 14 de março de 2007.
Federação de Automobilismo do Distrito Federal ? FADF
Fernando Batista Ramos
Presidente





© COPYRIGHT 2007 PRIMEKART - All rights reserved